top of page

Beatrice, o nosso pequeno milagre


O testemunho de dois jovens esposos, Elisa e Alessandro, novos membros da ADMA Primária de Valdocco.


Alessandro: O nosso caminho na ADMA começou há 5 anos com o convite de Pe. Roby para participar dos encontros dos Primeiros Passos em Família destinados às famílias nos primeiros anos de casamento e, como nós, aos noivos que se preparavam para o matrimônio.


Elisa: Eu conheci a ADMA através da experiência e das histórias de meus pais, que fizeram parte dela por alguns anos.


A: Para mim, ao contrário, foi uma nova dimensão, embora eu tenha tido a oportunidade de crescer em um ambiente salesiano durante meus anos de colégio e fiquei intrigado com esta proposta.


E: A decisão de continuar o caminho através dos encontros mensais da ADMA e da celebração do dia 24 foi em certo sentido bastante natural, quase uma não decisão, mas de alguma forma uma resposta a uma proposta de fidelidade na qual vimos uma grande oportunidade de bem para nós e para a nossa família.


A: Relembrando nossa história hoje, percebemos que desde o início de nosso casamento Maria foi capaz de nos pegar pela mão e nos conduzir até ela para que não nos sentíssemos sozinhos no momento de nossa primeira grande tempestade, quando juntos com a alegria de saber que estávamos esperando outro bebê depois de Alice tivemos que enfrentar o medo de saber que talvez aquele bebê não fosse para nós porque ela sofria de uma malformação cerebral muito grave talvez não compatível com a vida e quase certamente não com uma vida "normal" como a entendemos. Ainda me lembro da cara da Elisa quando ela me explicou o resultado do ultrassom. A primeira sensação foi de total abandono, mas logo depois com a delicadeza, firmeza e confiança em Maria típica de minha esposa, ela acrescentou que o Senhor nos confiava esta menininha porque tinha certeza que cuidaríamos dela. Estas simples palavras, porém, exigentes, foram para mim como um raio de luz na escuridão... não estava só, tinha a minha mulher e sobretudo Maria ao meu lado. O que eu tinha que fazer era claro, tinha que aceitar estar nessa situação aparentemente desesperadora, confiante de que Maria não nos deixaria sozinhos.


E: Muitos talvez, os humanos, que nos assustaram... mas apenas uma certeza segura, a de não estarmos sozinhos mas sermos Filhos Amados, nós e a criatura que senti chutar e que por meses espiamos com as ecografias. Confiando em Maria naqueles meses, saboreamos a doçura da oração feita com o coração e com a alma aliviada de quem sabe que seus pedidos já foram ouvidos. Através dela abrimos o coração às pessoas próximas, na família de famílias da ADMA nasceram novas amizades e outras se fortaleceram porque têm como base comum a fé e a confiança em Maria e em Jesus.


A: Como que para nos ensinar que a oração e a confiança total neles podem fazer tudo, de uma forma quase inexplicável para os médicos, a cada check-up o cérebro de Beatrice tomava uma forma cada vez mais normal, e em abril de um ano atrás, abraçamos pela primeira vez o nosso pequeno milagre. Tudo o que antes nos preocupava está se mostrando inofensivo com o tempo.


E: Pelo contrário, tivemos de enfrentar algo que não esperávamos, nomeadamente a necessidade de cirurgia de uma malformação cardíaca que nunca tinha surgido durante todos os controles de pré-natal. Aprendemos assim que muitas vezes os nossos problemas acabam por não ser nada, e que tudo o que somos e nos acontece é e continua a ser um Mistério nas mãos da Providência. E ainda hoje nos enchemos de gratidão e espanto quando pensamos na delicadeza com que Maria se fez presente concretamente na nossa casa, através da Capelinha, nos dias da cirurgia de Beatrice e da sua permanência na Unidade de Cuidados Intensivos, ou quando mais tarde começaria um novo trabalho. Reconhecemos na nossa história a Sua presença materna, primorosa, mas discreta, ao orientar também as pequenas e grandes escolhas de cada dia.


A: Realmente nos enche de gratidão e admiração olhar para trás hoje e nos lembrar que, quando Pe. Roby nos perguntou que marca gostaríamos de deixar em nosso casamento, identificamos nossos rastros precisamente em Maria e na Providência. E na ADMA vimos em primeira mão como tudo isso pode ser vivido na vida cotidiana de maneira verdadeiramente fecunda para si e para os outros.


E: Como dizia Dom Bosco "Maria é a nossa guia, a nossa mestra, a nossa mãe, e não faz as coisas pela metade". Aqui estamos, então, para renovar a nossa consagração a Ela, certos de sermos cobertos pela Graça e de podermos tocar com a mão, outros milagres.

Comments


LogoAdma2015PayoffADMA-OnLine_edited.png
bottom of page